Análise de dados e o bombardeio de informações

Leitura em 4 minutos
Análise de dados

Uma pesquisa realizada pelo MIT Technology Review, que ouviu mais de 2.300 líderes empresariais em todo o mundo, mostra que 78% dizem que enfrentam desafios para digerir, analisar e interpretar grandes volumes de dados.

Hoje vou mostrar o que pode estar prejudicando a utilização de dados concretos, que poderiam melhorar os resultados da sua empresa. Porque analisar dados é um desafio?

1. Os dados só aumentam e você não sabe o que fazer com eles.

Há alguns anos, a formação em Marketing não previa que passaríamos tantas horas dos nossos dias analisando números e que todas as nossas ações de comunicação e publicidade seriam totalmente orientadas a dados. Dados reais, em tempo real, específicos e cada vez mais detalhados, enviados pelos nossos próprios clientes e potenciais clientes de forma dinâmica. Por isso, Marketing, Tecnologia e Vendas hoje são vistos como um só. Muitas empresas já trabalham com essas equipes em um mesmo ambiente, por que nenhuma delas pode caminhar sem pensar na outra.

Diante de tanta informação, muitos profissionais sabem que os dados são relevantes, mas não sabem o que fazer com eles.

Aí vem a importância de que os KPIs estejam bem definidos e claros para todos na empresa. Sabendo quais são os números, indicadores e metas mais importantes, as áreas ganham produtividade e se preocupam com o que realmente é importante e decisivo para um bom resultado para a empresa.

2. Dados em diversas plataformas diferentes e chegando em formatos diferentes.

Não é mais novidade que a cada dia aparecem novas formas de captação de dados, mas você precisa estar atualizado sobre o que cada uma faz, seus objetivos e valores, para implementar na empresa.

Nunca foi tão importante que as plataformas tenham integrações entre elas. Aqui na ARC temos diversas integrações, por exemplo, com a Allin, Conta Azul, Bradesco, Zenvia, Cielo, dentre outras. Dessa forma, quem contrata a ARC ganha tempo porque os dados estão integrados com outras plataformas que eles já utilizam e a experiência do usuário final é melhor, evitando por exemplo que o cliente precise logar mais de uma vez. A maioria das vezes o cliente final não percebe a mudança de ambientes, administrados por empresas diferentes.

Hoje é certo que você precisa trabalhar com diferentes plataformas e que precisa analisar dados em diferentes formatos. Por isso, a integração de dados nunca foi tão importante. O Leandro, nosso diretor de Tecnologia já falou sobre as APIs no ARC Insights. São elas as responsáveis por essa integração.

3. Dados que não são utilizados como deveriam.

Não é segredo que as tomadas de decisões precisam ser com base em dados, mas quantas vezes paramos no fim do mês para fazer isso? Por isso torne a análise uma rotina e amadureça a cada dia para não deixar passar informações que não podem ser ignoradas.

4. Complexabilidade de criar campanhas estratégicas.

Os dados existem – consequentemente o que os profissionais de marketing vão fazer com isso é o que importa. Iniciamos a era do marketing orientado por dados – o reconhecimento e a integração de análises comportamentais para oferecer a melhor oferta e resposta possível ao cliente em tempo real.

Jupiter Research relata que por segmentar prospects com base em comportamentos específicos, é possível aumentar as taxas de abertura em mais de 50% e a conversão em mais de 30%.

Está cada vez mais claro que as empresas que não adotarem uma estratégia de marketing orientada por dados não poderão mais atender efetivamente às necessidades dos clientes – ou aumentar sua lucratividade.

Os clientes da ARC contam com o impacto total do marketing, mas com uma plataforma que simplifica a gestão e integra com as principais ferramentas do mercado.

Tenha um programa de recompensas personalizado e engaje seus clientes.

Relacionamento com o Cliente: 3 pilares da comunicação

Leitura em 2 minutos
relacionamento com o cliente

A comunicação é a base do relacionamento com o cliente, seja ele b2b ou b2c, com ela, conseguimos entender o olhar do cliente e podemos aprimorar os serviços , estreitar relacionamentos e até mesmo expandir a marca da empresa.

Iniciamos sendo uma pequena empresa com grandes clientes e pouca mão de obra, mas com muita vontade de servir bem. Porque talvez essa seja a marca registrada da ARC, fazemos muito com pouco e isso se estendeu também aos nossos clientes e serviços prestados.

Quando percebemos que o Clube de Vantagens era o nosso negócio, decidimos que o cliente do nosso cliente também seria uma prioridade e assim fizemos investimento em equipe e formamos uma força-tarefa para atender as demandas que começaram a surgir.

Era algo incert, mas eficaz já no primeiro mês, ter uma equipe de atendimento fazia a diferença, trazia excelência aos atendimentos e os problemas que surgiam no caminho eram rapidamente solucionados e esse é o primeiro pilar do Relacionamento.

Excelência no Relacionamento com o Cliente

Aprendemos com o Atendimento que a excelência era o primeiro pilar de um relacionamento com o cliente. Cada mensagem de Fale Conosco era uma oportunidade de fazer um cliente satisfeito. Toda e qualquer comunicação precisava terminar do mesmo jeito: tornando o cliente, um defensor do clube. Não era uma tarefa fácil mas eram tentativas necessárias.

Confiança

Um dos pilares, que nos deu carta branca pra entrar em tantos clubes grandes foi a confiança que passamos aos nossos clientes. É necessário estar muito seguro do que você quer oferecer pra poder conseguir ultrapassar os desafios corriqueiros. Não existe fórmula mágica, existe parceria entre todas as partes.

Transparência no Relacionamento com o Cliente

Erros acontecem e eles não podem ser jogados pra baixo do tapete. Mostrar eficiência é reconhecer erros e tentar contorna-los da melhor maneira possível com transparência, excelência e confiança.

Estar a disposição do seu cliente é uma maneira de mostrar que você está disponível para o projeto que vocês possuem juntos. Ser transparente mostra que você tem consciência do que está fazendo. E transmitir confiança é resultado de todos os pilares dessa relação.

Se você quiser conhecer a ARC, acesse www.arcsolucoes.com.br.

Pensamento Computacional pode resolver problemas.

Leitura em 5 minutos
Pensamento computacional

O pensamento computacional pode nos ajudar nas tarefas do dia a dia, você sabia?

O que é pensamento computacional? Se você for procurar no Google ou Wikipédia, existe uma definição complexa, falando de teses no meio acadêmico da Ciência da computação, construcionismo, e metodologias de ensino utilizando-se do computador.

Mas eu quero me deter a uma frase para tentar explicar o que eu considero aplicável no nosso dia-a-dia:

“O pensamento computacional pode ser usado para resolver algoritmicamente problemas complicados”

O que é um algoritmo?

Algoritmo é um conjunto de tarefas simples, capazes de serem executadas por um computador – uma máquina – mas que por incrível que pareça só consegue entender duas coisas: zero e um.

Decompondo um problema com pensamento computacional

Por isso, sempre que um programador precisa construir um Programa ele precisa decompor o problema, transformá-lo em uma lista de tarefas simples que sejam executadas pelo computador.

Par ou Ímpar?

Um dos primeiros algoritmos que aprendemos logo no início da faculdade é o que descobre se um número é par ou ímpar. Mesmo para essa demanda boba, precisamos decompor o problema e simplificar as tarefas ao máximo.

A primeira coisa definida no programa é que ele precisa receber um número;

A segunda é dividir o número por dois;

A terceira é verificar se o resto da divisão é zero ou um;

A quarta é exibir a mensagem de acordo com o resto:

Se for zero o número é par;

Se for 1 o número é ímpar.

Um problema, várias soluções!

Não existe apenas uma maneira de fazer isso. Porque também podemos pegar qualquer número, identificar o primeiro numeral da direita para a esquerda, OU o ultimo da esquerda pra direita e, se ele for um, três, cinco, sete ou nove definimos então como ímpar e o contrário como par.

Aliás, não sei vocês, mas minha cabeça funciona assim, destaco o último número e vejo se ele é par ou ímpar.

Mas, como nas primeiras aulas da faculdade ainda não sabíamos como destacar o último número, e já sabíamos que a instrução MOD nos trazia o resto de uma divisão, optamos pela primeira lista de tarefas para resolver a questão.

Vamos trazer o pensamento computacional para o dia-a-dia?

Imaginemos que minha mãe me liga em plena reunião de trabalho para avisar que na casa dela estourou um cano e a água está vazando por toda cozinha mas eu não tenho como ir até lá.

Eu tenho algumas opções mas uma delas é largar tudo que eu estou fazendo e sair correndo para tentar consertar.

Outra coisa é respirar, dividir o problema em pequenas tarefas – as mais simples possíveis – me permitirão ter uma visão geral do problema e resolvê-lo muito mais rápido.

Com 3 mensagens de WhatsApp resolvo o problema.

1 – Mãe, preciso que você feche o registro geral da casa;

2 – Peço para meu filho Daniel que entre em contato com o Sr. Lino, bombeiro hidráulico e peça para ele ir à casa da Vovó consertar um vazamento.

3 – Finalizo pedindo minha esposa passar no banco e trazer dinheiro para pagarmos pelo serviço.

Dividir para conquistar

Quanto mais simples as tarefas, mas chances de outras pessoas me ajudarem, menos chances de a tarefa ser executada de forma errada.

Resolvi o problema envolvendo 3/4 de pessoas que não são bombeiros hidráulicos, que nunca consertaram um vazamento mas seguiram as partes para solucionar.

A ARC consegue entregar muito, realizar muitas integrações. Porque utilizamos esse pensamento, dividimos muito, ao máximo, e aproveitamos todo nosso time para realizar pequenas tarefas de forma certeira.

O desafio de integrar com a Light.

Quando fomos contratados para integrar nosso sistema ao da Light, a primeira coisa que pensamos, confesso, foi como poderíamos fazer isso com uma empresa do tamanho da Light?

Uma empresa com 6 milhões de clientes, uma distribuidora de energia, antiga estatal da terceira maior cidade do Brasil.

Chamei meu braço direito Rodrigo para juntos começamos a listar o que deveria ser feito, qual seria a primeira integração, qual seria a primeira tarefa da primeira coisa a ser feita. A primeira missão era fazer com que os clientes que acessassem a agência virtual pudessem ser direcionados para plataforma da ARC, mas sem ter que realizar um novo login.

Desafio aceito, reuniões com o time técnico da ARC e da Light, definimos cada passo a ser dado e as equipes executaram um a um.

As tarefas eram tão simples, que o resultado foi em tempo recorde e todos ficaram surpresos.

Se você quiser conhecer mais sobre a ARC, acesse o nosso site e garanta 30 dias de uso, gratuitamente.

Marketing Conversacional

Leitura em 3 minutos

Descubra como o Marketing Conversacional pode te ajudar a ter uma relação mais estreita com o seu cliente.

Marketing Conversacional

Em sua definição mais comum, o Marketing Conversacional é uma estratégia de Marketing. Mas um marketing, que empresas e clientes possuem uma relação mais humana. Onde ambas se dispõem a ter uma interação mútua, contínua e se possível, em tempo real.

70% dos brasileiros se dizem dispostos a conversar com corporações através do Messenger ou do WhatsApp e isso é uma prova de que o Marketing conversacional veio pra ficar! As pesquisas sobre essa estratégia ainda não são tão altas, mas as buscas por ferramentas como o chatbot chegam aos 24.900.000 resultados no google.

Costumo dizer que estamos em uma era de reabilitação de humanidade e por isso estamos tentando nos conectar tanto e isso vale para o mercado, hoje a visão de clientes como números não é aceita. Com essa estratégia conseguimos personalizar atendimentos e potencializar conversões. Então, ao entender as necessidades e disponibilizar uma via de mão dupla para troca de informações.

Como posso implementar essa estratégia?

Eu sou uma grande defensora de atendimentos realizados entre humanos mas os ChatBots são excelentes alternativas a falta de tempo, mão de obra, alta demanda ou até mesmo de experiência com outras plataformas de atendimento.

Hoje no mercado a Zenvia é uma grande construtora de fluxos de comunicação, automações e chatbots que facilitam a vida de empresas que querem automatizar esses processos.

O Whatsapp que já é utilizado como uma forma de automação de atendimento pode ser uma ótima alternativa.

Se você não tem a oportunidade de contratar um serviço de automação, você pode usar o Whatsapp Business.

Como uma saída gratuita para disponibilizar promoções, fazer atendimentos e até mesmo programar mensagens com avisos de horário de funcionamento.

Conversar gera resultado?

Conversar é uma oportunidade de entregar produtos/serviços cada vez melhores baseados em uma relação estreita com o seu cliente. Receber Feedbacks é a melhor forma de aprimorar o que você coloca no mercado.

Automatização is the new black!

Automatizar é uma das palavras do momento e nós acreditamos que facilitar a vida dos nossos clientes é a melhor forma de fazer com que eles estejam mais disponíveis para aplicar melhorias no mercado.

Por isso desenvolvemos uma plataforma de CRM para que os clientes possam monitorar diversas ações enquanto o nosso time trabalha em campanhas de fidelização e busca das melhores ofertas para disponibilização nos portais de cada Clube de Vantagem.

A ARC possui diversas integrações que tornam a nossa plataforma completa.

Nosso time e nossa plataforma está preparada para fazer atendimento b2c e b2b. Mas trabalhamos com o Whatsapp Business para manter o consumidor o tempo todo atualizado das melhores opções de conquista e troca de pontos.

Experimente a nossa plataforma por 30 GRÁTIS! Cadastre-se aqui!

Gerações e os seus posicionamentos.

Leitura em 2 minutos

Gerações: falamos por aqui sobre a força das novas gerações no mercado de trabalho. É assustador pensar que os nascidos em 2001 já estão na faculdade. E é mais surpreendente ainda perceber que esses jovens estão dominando o mercado de forma avassaladora.

Mas o que eu, uma jovem de 21 anos tenho a falar sobre essa geração que também é minha?

Há algumas semanas, tivemos um bate papo muito legal com o Pedrinho Salomão no ARC Insights. Falamos sobre o poder das gerações Z e Y mas hoje eu quero falar sobre o impacto que causamos no mundo, geração por geração.

Não importa qual nomenclatura elas receberam, as gerações mais antigas por mais que muitas vezes tenham pensamentos contrários aos da geração seguinte foram e são muito importantes no mercado atual.

Afinal, foram elas que nos mostraram o caminho para trilhar e chegar no desenvolvimento tecnológico que vivemos hoje.

Outro dia ouvi falar sobre a geração Alfa, os nascidos a partir de 2010, em uma era nativa digital e é incrível pensar em tudo o que essa geração pode trazer no futuro.

Mas o mais importante é entender que hoje nós temos a responsabilidade de nos atualizar e nos renovar o tempo inteiro pra continuar falando com os jovens que já tomam decisões no mercado.

Quando a ARC surgiu no mercado, a maioria dos jovens decisores de hoje, eram apenas crianças. Mas hoje são elas que contratam o nosso serviço e isso nos fez ter uma necessidade de mudança de posicionamento.

Não só pra falar a linguagem desses jovens, mas para também incluir todas as gerações anteriores no mercado tecnológico.

Se pensarmos em idade, a ARC hoje está vivendo a sua adolescência e amadurecendo dia após dia, se conectando com empresas que tem o mesmo pensamento e objetivo: crescer.

E como somos millenials, estamos nos desconstruindo com muito mais conhecimento e nos reconstruindo com a mente aberta para ser muito mais do que já fomos um dia.

Nós temos a solução perfeita para a sua transformação. Fale com a nossa equipe!

Colaborar x Competir

Leitura em 3 minutos

Quando falamos sobre colaborar dentro do universo corporativo esse termo pode se tornar muito subjetivo, já a competição é vista com mais naturalidade, afinal, a concorrência entre empresas sempre existiu e se tornou uma grande corrida dentro do mercado. Onde os que chegam na frente ganham a medalha de ouro e os que ficam pra trás, podem nem chegar ao pódio. Mas o mercado mudou e as pessoas também.

Colaborar: Porque e com quem?

colaborar

Por muito tempo os profissionais tiveram medo de compartilhar as suas ideias e os seus planos por conta da concorrência. Esses projetos que foram guardados à sete chaves no baú do medo de compartilhar, podem ter pedido muitas chances de sucesso por não ter uma colaboração externa.

Com o passar dos anos a ideia de colaboração começou a ganhar espaço, aliás, as empresas passaram não só a colaborar entre si como também com consumidores e influenciadores.

Não tenha medo de colaborar compartilhando conhecimento

A ideia de compartilhar pode parecer muito assustadora, afinal, aquele é o seu projeto e ele vale muito para você. Mas o que torna ele único é a sua forma de executar.

No Brasil já encontramos diversas empresas adeptas não só ao compartilhamento de seus projetos como também do seu conhecimento.
É o caso da Rock Content, que produz Marketing de Conteúdo e fez disso um negócio rentável. E também as Irmãs Alcântara com a marca Orna, onde elas defendem que colaboração é melhor que competição e aplicam isso de forma incrível em uma escola de Branding, chamada efeito Orna.

E a concorrência?

Colaboração gera união e crescimento de mercado, competição aumenta a rivalidade e divide o mercado.
Um exemplo bem legal de empresas que se uniram e expandiram no mercado é do Grubster com o ChefsClub, ambas tinham propósitos em comum e a fusão entre elas fez com que se tornassem o maior player do segmento. Seus “concorrentes” precisam ser parceiros e não oponentes.

Fazer esse caminho acompanhado é melhor do que sozinho e como falei ali em cima o que torna cada um único é a execução, portanto, você terá o seu diferencial.

Como posso integrar esse novo modelo de pensamento ao meu negócio?

Reestruturar algo que já vem sendo aplicado há um tempo não é uma tarefa fácil mas as mudanças fazem parte do processo de crescimento.
Existem alguns conceitos que precisam ser esclarecidos dentro da empresa por isso acredito que ter uma base e um bom propósito fazem toda a diferença:

  • Defina o seu propósito no mercado.
  • Redefina o conceito de competição na sua empresa.
  • Valorize parceiras e colaborações.
  • Invista no mercado e em empresas parecidas com a sua.
  • Colabore com outras empresas: seja com um serviço ou até mesmo uma indicação.
  • Não tenha medo de compartilhar e explorar possibilidades.

Por fim, se você está no mercado em busca de ferramentas para crescer, nós podemos ajudar o seu negócio. Conheça a ARC e utilize nossos serviços gratuitamente por 30 dias, clicando aqui.

Saúde Mental: Como o meio corporativo pode influenciar.

Leitura em 4 minutos

Você sabe como a Saúde mental interfere no mundo corporativo?
Não é novidade para ninguém que estamos vivendo uma era de muita ansiedade. As informações chegam o tempo todo e estamos sendo cada vez mais cobrados de sermos profissionais excepcionais, atualizados e felizes.

Saúde Mental

A saúde mental do século XXI é pauta de diversos estudos e a sua ligação com o trabalho e mídias sociais é cada vez mais apontada. 56% dos brasileiros estão insatisfeitos com seus empregos formais . Entretanto, por uma combinação de fatores mas também por um modelo antigo de empregabilidade. Nos dias de hoje as jovens empresas que nasceram em meio ao boom da tecnologia já pregam um novo modelo de trabalho, com mais flexibilidade e mais benefícios para o funcionário.

Você já parou pra pensar na quantidade de vagas que agora disponibilizam academias, yoga, shiatsu e outras coisas extras para os seus funcionários? Isso é o reflexo de uma geração de trabalhadores que busca qualidade de vida em geral, Saúde Mental e não somente financeira.

A culpa é do salário?

O salário é sim um ponto decisivo na hora da escolha de ficar na empresa mas 90% das pessoas consideram que este reconhecimento pode vir sob outras formas, como elogios, homenagens até mesmo uma estrela no peito, desde que seja uma atitude que valorize a entrega do trabalhador.  Estamos em uma era em que o mercado exige profissionais excepcionais. Portanto, precisamos de estudos, tempo dedicado e muitas vezes essa busca pelo perfeccionismo e entrega além do esperado é um gatilho para crises de ansiedade e até mesmo depressão.

Como podemos ajudar?

Em época de crise e corte de gastos é até difícil pedir uma reformulação de modelo de trabalho. Mas, o que as empresas precisam entender é que os funcionários passam muito mais tempo dentro do trabalho do que na sua própria casa e se esse ambiente for tóxico vai atingir não só 1 mas sim todos os funcionários.

O papel da empresa é promover um ambiente de construção, aprendizado e colaboração, onde o funcionário possa ouvir mas também ser ouvido. O cuidado com a saúde emocional deve ser uma parte cultural da empresa e nunca é tarde para mudar, nós mesmos, estamos mudando 😉

Seja uma rede de apoio e incentivo.

Saúde Mental

Sabemos que em grandes organizações o controle e olhar individual de cada funcionário é muito complexo de fazer, por isso é necessário ter uma boa equipe de RH e porque não investir em terapias ou encontros semanais onde os funcionários possam se expressar? Uma dica é, se sua empresa for muito grande, divida essas atividades por setor!

Se a sua empresa for pequena, tenha o cuidado de fazer um olhar individual, promova interação entre os funcionários e fique de olho na aptidão de cada um. Fazer o que gostamos sempre é uma razão a mais para seguir.

Saúde Mental

Por último, incentive o seu funcionário, é ele que faz a sua empresa acontecer. Reconheça as suas habilidades, esforços e tempo dedicados aos seus projetos.

O reconhecimento pode vir tanto de forma financeira como em forma de elogio, por algo que ele fez essa semana ou no último mês.

Vale lembrar que Ansiedade e Depressão são doenças que precisam de acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Se você estiver passando por um momento assim, procure ajuda.

O CVV (centro de valorização a vida) atende gratuitamente e pode te ajudar. E se você identificar que algum dos colaboradores da sua empresa está precisando, ofereça ajuda!

Empreender: Você é um empreendedor?

Leitura em 2 minutos

Se você está no Linkedin ou em qualquer outra Rede Social provavelmente já viu uma série de publicações de incentivo ao empreendedorismo e em ser dono do seu próprio negócio. Aliás, essa possibilidade é sim um sonho para muitos, mas existe uma parcela de pessoas que está empregado em uma organização e está muito bem.

empreender

O que esquecem de nos falar é qual é o verdadeiro significado de empreendedorismo. O empreendedor é aquele que sabe identificar as oportunidades e transformá-las em uma organização lucrativa.

Empreender não é sobre criar empresas inovadoras mas também trabalhar de forma inovadora dentro de uma organização já existente que pode não ser sua. A única regra é não parar de inovar.

Por onde começar?

Para empreender você precisa ser aberto a novas ideias, não fazer sempre as mesmas coisas e sempre QUESTIONAR!

Porque você faz é mais importante do que o que você faz e esse tipo de questionamento vai te fazer trazer coisas realmente relevantes para o ambiente de trabalho.

Aliás, busque soluções para problemas atuais e quando não puder resolver, busque ferramentas que auxiliem ou resolvam por completo esses problemas.

Seja um Unicórnio!

Você já ouviu falar nas empresas unicórnios? Segundo uma matéria do jornal “O Globo” essa é a definição para essas empresas: “São empresas que começaram pequenas, mas que com algo de fantástico em suas propostas impactaram o mundo.

E o que isso tem a ver com você ou o seu cargo?

Se hoje você não tem intenção de abrir um negócio próprio, mas muita vontade e iniciativa de melhorar o seu trabalho e desenvolver novos projetos, você precisa levar isso para a sua realidade. Mesmo que uma ideia comece pequena, se ela tiver uma proposta fantástica, ela vai impactar a sua empresa.

A ARC tem uma proposta personalizada para cada tipo de negócio. Para te ajudar com inovação, retenção e conquista de clientes e mensuração de resultados.

Programa de recompensas: 5 motivos para você ter um.

Leitura em 3 minutos

Fidelize seus clientes e aumente o incentivo de vendas com um programa de recompensas personalizado para a sua empresa.

Já falamos aqui muitas vezes sobre estarmos na era dos clientes, falamos sobre retenção e também fidelização de Clientes mas nesse artigo vamos falar de forma prática 5 motivos para você ter um programa de recompensas para a sua empresa.

Vamos explorar o programa de recompensas como uma forma de fidelização mas também como um poderoso componente do branding da sua empresa.

1 – Agrega valor ao seu serviço/produto.

Ter um programa de recompensas é um diferencial. Afinal, criar algo personalizado para os seus clientes agrega ainda mais valor e sentimento à sua marca, mostra que você se importa com a satisfação e fidelidade do seu cliente.

2 – Gera expectativa

Com um programa de recompensas bem estruturado e com boas opções de bonificação para os clientes, você gera uma expectativa de que sempre que ele voltar a usar/comprar seu serviço ou produto vai se sentir ainda mais próximo de alcançar aquela recompensa.

3 – Aumenta a adimplência

E se você premiar aqueles clientes que estão sempre em dia com você? Essa é uma estratégia que aumenta a satisfação de um cliente que se esforça para estar em dia e também atrai os que estão inadimplentes para que deixem os pagamentos em dia.

4 – Cria boas lembranças da sua marca

Satisfazer o cliente nem sempre é uma tarefa fácil, estamos como consumidores e como marca sendo cada vez mais exigentes com os produtos e serviços que adquirimos. Se você criar a estratégia certa e disponibilizar os benefícios que supram essas expectativas do consumidor, com certeza você vai criar boas lembranças com ele.

Podemos usar como exemplo, um de nossos clientes, a Enel distribui pontos e os clientes podem trocar por descontos na conta de luz.
Imagina que alívio, no fim do mês descobrir que a sua distribuidora de energia disponibilizou uma forma de você economizar até 150 reais!

5 – Transforma seus clientes em defensores.

Nós falamos AQUI sobre os Defensores de Marca mas basicamente são os seus clientes que acreditam em você e acabam propagando a sua marca. A partir do momento que você concede benefícios além do esperado, as chances de encantar esse cliente são maiores e ele então pode se tornar um defensor e propagador da sua marca.

NÃO SE CONVENCEU?

Não se preocupe! Nós temos as ferramentas necessárias para você tirar do papel todas essas dicas que nós abordamos ali em cima. E o melhor, você tem 30 dias GRÁTIS para testar e ver se atende as suas expectativas!

Esse botãozinho mágico te leva para se cadastrar e começar a criar histórias de sucesso com os seus clientes: Cadastre-se!
Programa de recompensas

Encantar um cliente: Prestadora de serviços básicos

Leitura em 3 minutos

Não é novidade para ninguém que o relacionamento cliente e prestador de serviço de água, luz entre outros serviços básicos, muitas vezes é abalado.
Mas hoje o mercado exige que o cliente esteja sempre satisfeito e esse é um desafio muito grande para essas empresas. Pensando nisso, nós aqui da ARC começamos a trabalhar com distribuidoras de energia visando uma virada positiva nessa relação.

O cliente de um serviço básico, não tem escolha e precisa estar adimplente. Mas nem por isso, você precisa deixar de encantá-lo.

Encantar um cliente

1 – O cliente precisa pagar e você precisa encantar.

Pode parecer uma forma forte de falar, mas a verdade é que ninguém gosta dos boletos mensais que chegam sem um valor estimado e com data de validade apertada. Por isso, seja flexível! Em muitos casos não é possível fazer grandes mudanças mas existe algo que melhora qualquer relacionamento: bom atendimento. Invista em atendentes que façam o possível para encantar o cliente e dê possibilidades para que ele faça isso.

2 – Ofereça benefícios

Nós, como uma empresa que trabalha com programa de recompensas, podemos falar o quanto esse tipo de programa funciona e como clientes se apaixonam por possibilidades de economizar, ganhar um prêmio ou até mesmo receber um Feliz Aniversário com uma oferta pensada pra ele.
Os benefícios retem clientes e encantam clientes fiéis.

3 – E se você com você?

Se você está oferecendo um benefício que não atrai você, ele não serve para o seu cliente. Antes de ser profissionais, somos consumidores. E satisfazer nossas necessidades e desejos é o que mais esperamos quando vamos em busca de algo para consumir. Nós não podemos escolher qual empresa queremos que atenda nossas necessidades de luz, água e etc, mas nós podemos ter uma visão sobre ela. E os 3 pilares dessa visão são: Prestação de Serviço, Qualidade de atendimento e Benefícios Envolvidos.

Estamos na era dos Clientes e ao mesmo tempo estamos em crise, são duas coisas bem difíceis de controlar mas o esforço que depositamos em mudanças positivas, sempre gera recompensas, lucro e satisfação.
A crise traz novas oportunidades.

Nessa nova era, é comum transformar a visão do cliente sobre a prestação de serviços. Quando o cliente passa a enxergar a empresa pela posição social, pelos benefícios agregados e não somente pelo serviço prestado.

Mude esse cenário e construa uma imagem diferente para a sua empresa.
Teste gratuitamente os nossos serviços por 30 dias Cadastre-se aqui!